Revista de Odontologia da UNESP
http://www.revodontolunesp.com.br/doi/10.1590/1807-2577.04214
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Utilização do hipoclorito de sódio na descontaminação de escovas dentais: estudo in vitro

The use of sodium hypochlorite for toothbrushes decontamination: in vitro study

Busato, Claudia de Abreu; Cavazzola, Alexandre Sabatini; Ortega, Adriana de Oliveira Lira; Guaré, Renata de Oliveira; Saleh Neto, Ali

Downloads: 1
Views: 406

Resumo

Introdução: A escovação dentária é um método utilizado para controle do biofilme dental; entretanto, as escovas dentais tornam-se um meio de contaminação de microrganismos após seu uso, com lacunas importantes em relação a estes métodos de desinfecção, principalmente no uso coletivo. Objetivo: O objetivo desta pesquisa foi avaliar a descontaminação de escovas dentais contaminadas in vitro, utilizando-se hipoclorito de sódio 0,08% em diferentes períodos de tempo (5, 10 e 15 minutos). Material e método: Foram utilizadas, nesta pesquisa, 72 escovas dentais distribuídas em seis grupos, levando-se em conta o microrganismo utilizado para contaminação, sendo: grupo 1, contaminadas com Escherichia coli; grupo 2, com Stafilococcus aureus; grupo 3, com Streptococcus pyogenes; grupo 4, com Enterococus faecalis; grupo 5, com suspensões de todas as bactérias, e grupo 6, o grupo-controle. Após a contaminação, os grupos foram imersos na solução de hipoclorito de sódio a 0,08% por períodos de 5, 10 e 15 minutos, sendo considerado positivo para desinfecção a não turvação do meio de imersão. Resultado: No tempo de imersão de 5 minutos, ocorreu a desinfecção dos grupos 2 e 3; em 10 minutos, houve desinfecção dos grupos 1,2 e 3; após 15 minutos de imersão, ocorreu a desinfecção de todos os cinco grupos. Conclusão: O uso de hipoclorito de sódio 0,08% foi efetivo na descontaminação de escovas dentais contaminadas com bactérias Escherichia coli, Stafilococcus aureus, Streptococcus pyogenes, Enterococcus faecalis, num tempo de imersão de 15 minutos.

Palavras-chave

Escovação dentária, hipoclorito de sódio, descontaminação.

Abstract

Aim: Tooth brushing is a method used to control the dental biofilm; however, toothbrush can be a contamination medium by microorganisms after its utilization, with significant weaknesses in relation to those disinfection methods, mainly on collective use. Objective: This study had as objective to evaluate the decontamination of toothbrushes contaminated in vitro using 0,08% sodium hypochlorite during different periods (5, 10 and 15 minutes). Material and method: It was studied 72 toothbrushes distributed in 6 groups according to the microorganism used for contamination, as follow: group 1 for Escherichia coli; group 2 for Stafilococcus aureus; group 3 for Streptococcus pyogenes; group 4 for Enterococus faecalis; group 5 for a mix of all bacteria; and group 6 for control group. After contamination, all groups were immersed into 0,08% sodium hypochlorite solution during 5, 10 and 15 minutes, and it was considered as positive for disinfection no turbidity of the immersion medium. Result: During the period of 5 minutes in immersion, it occurred the disinfection of the groups 2 and 3; during 10 minutes period, there was the disinfection of the groups 1, 2 and 3; after 15 minutes in immersion, all the 5 groups were disinfected. Conclusion: The use of 0,08% sodium hypochlorite was effective in the decontamination of the toothbrushes contaminated by Escherichia coli, Stafilococcus aureus, Streptococcus pyogenes, Enterococcus faecalis, during an immersion period of 15 minutes.

Keywords

Tooth brushing, sodium hypochlorite, decontamination.

References

1. Queiroz FS, Nóbrega CBC, Costa LED, Reul MA, Abreu RSA, Leite MS. Avaliação do perfil de armazenamento e descontaminação das escovas dentais. Rev Odontol UNESP. 2013 Mar-Abr;42(2):89-93. http://dx.doi.org/10.1590/S1807-25772013000200004.

2. Sato S, Ito IY, Lara EHG, Panzeri H, Albuquerque Junior RF, Pedrazzi V. Bacterial survival rate on toothbrushes and their decontamination with antimicrobial solutions. J Appl Oral Sci. 2004 Jun;12(2):99-103. http://dx.doi.org/10.1590/S1678-77572004000200003. PMid:21365129.

3. Nelson-Filho P, Faria G, da Silva RA, Rossi MA, Ito IY. Evaluation of the contamination and disinfection methods of toothbrushes used by 24- to 48-month-old children. J Dent Child (Chic). 2006 Set-Dez;73(3):152-8. PMid:17367032.

4. Coutinho PG, Bittar P, Ditterich RG, Rastelli MC, Romanelli MCMV, Wambier DS. Análise do acondicionamento e condições de escovas dentais utilizadas por pré-escolares. Rev Odonto Ciênc. 2007 Out-Dez;22(58):335-9.

5. American Dental Association – ADA. Toothbrush care: cleaning, storage and replacement [Internet]. Chicago: Council on Scientific Affairs; 2011 [citado 2015 Jul 28]. Disponível em: http://www.ada.org/1887.aspx.

6. Chaves RAC, Ribeiro DML, Zaia JE, Alves EG, Souza MGM, Martins CHG, et al. Avaliação de soluções antibacterianas na descontaminação de escovas dentais de pré-escolares. Rev Odontol UNESP. 2007;36(1):29-33.

7. Nelson-Filho P, Pereira MS, De Rossi A, da Silva RA, de Mesquita KS, de Queiroz AM, et al. Children’s toothbrush contamination in day-care centers: how to solve this problem? Clin Oral Investig. 2014 Nov;18(8):1969-74. http://dx.doi.org/10.1007/s00784-013-1169-y. PMid:24366670.

8. Peker I, Akca G, Sarikir C, Alkurt MT, Celik I. Effectiveness of alternative methods for toothbrush disinfection: an in vitro study. The Scientific World Journal. 2014(2014):1-9. http://dx.doi.org/10.1155/2014/726190.

9. Lima M van V, Watanabe E, Faria G, Nascimento AP, Verri MP, Ito IY. Biofilme: avaliação do nível de contaminação de escovas dentais Monobloc® em função do dentifrício. Rev Odonto Ciênc. 2007 Jul;22(7):269-74.

10. Passos IA, Massoni ACLG, Ferreira JMS, Forte FDS, Sampaio FC. Avaliação das condições físicas e do acondicionamento de escovas dentais em creches de João Pessoa – Paraíba, Brasil. Rev Odontol UNESP. 2006 Out-Dez;35(4):299-303.

11. Soares PV, Fonseca L, Brandão CF, Juiz PJL. Avaliação da contaminação de escovas dentais por microrganismos e da efetividade de antissépticos na sua descontaminação. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde. 2010;12(3):5-10.

12. Costa AMDD, Terra FS, Pereira LM, Cezário KRO, Zanetti HHV. Avaliação do índice de biofilme dentário, do deterioro e dos cuidados relativos ao armazenamento e desinfecção das escovas dentais de crianças de uma creche do sul de Minas Gerais. Braz J Periodontol. 2014 Jun;24(2):7-12.

13. Chou TTA, Ferreira NS, Kubo CH, Silva EG, Huhtala MFRL, Gonçalves SEP, et al. Avaliação do conhecimento e comportamento dos pacientes em tratamento odontológico em relação à cárie, doença periodontal e higiene bucal. RPG Rev Pós- Grad. Set. 2011 Jul;18(3):140-7.

14. Aubut V, Pommel L, Verhille B, Orsière T, Garcia S, About I, et al. Biological properties of a neutralized 2.5% sodium hypochlorite solution. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2010 Fev;109(2):e120-5. http://dx.doi.org/10.1016/j.tripleo.2009.09.022. PMid:19969489.

15. Araújo MS, Thedel G Jr, Carneiro WJ, Lobato SMP. Descontaminação de escovas dentais: desenvolvimento e padronização de método para uso doméstico. JBC J Bras Clín Odontol Integr. 2006 Jan-Mar;10(52):71-9.

16. Balappanavar AY, Nagesh L, Ankola AV, Tangade PS, Kakodkar P, Varun S. Antimicrobial efficacy of various disinfecting solutions in reducing the contamination of the toothbrush -- a comparative study. Oral Health Prev Dent. 2009;7(2):137-45. PMid:19583039.

17. Ferreira CA, Savi GD, Panatto AP, Generoso JS, Barichello T. Microbiological evaluation of bristles of frequently used toothbrushes. Dental Press J Orthod. 2012;17(4):72-6. http://dx.doi.org/10.1590/S2176-94512012000400016.

18. Zão EJR, Silva MAM, Alves UM. Desinfecção e armazenamento de escovas dentais: avaliação da prática realizada por acadêmicos do curso de Odontologia da Universidade Severino Sombra - Vassouras/RJ. Revista Pró-univerSUS. Vassouras. 2011 Jan-Jun;2(1):53-64.

19. Gonçalo CS, Mialhe FL. Contaminação das escovas dentais: uma revisão crítica da literatura. Rev Periodontia. 2009;19(3):56-63.

20. Efstratiou M, Papaioannou W, Nakou M, Ktenas E, Vrotsos IA, Panis V. Contamination of a toothbrush with antibacterial properties by oral microorganisms. J Dent. 2007 Abr;35(4):331-7. http://dx.doi.org/10.1016/j.jdent.2006.10.007. PMid:17118507.

21. Santos AL, Santos DO, Freitas CC, Ferreira BLA, Afonso IF, Rodrigues CR, et al. Staphylococcus aureus: visitando uma cepa de importância hospitalar. J Bras Patol Med Lab. 2007;43(6):413-23.

22. Costa FN, Santos O, Weckx LLM, Pignatari SSN. Estudo microbiológico do core e superfície das amígdalas palatinas em crianças portadoras de faringoamigdalites de repetição e hipertrofia adenoamigdaliana. Rev Bras Otorrinolaringol. 2003;69(2):181-4. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992003000200006.

23. Kaper JP. Defining EPEC. In: Kaper J, Carneiro-Sampaio MMS, Rodriques J, Trabulsi LR, editores. Proceedings of the International Symposium on Enteropathogenic Escherichia coli (EPEC). 1996; São Paulo, BR. São Paulo: Brazilian Society of Microbiology; 1996. p. 130-33.

24. Ferreira GTS, Freixinho ABS, Machado SJ, Miasato JM. Verificação da contaminação e forma de armazenamento de escovas dentais em um grupo de adolescentes de uma escola da rede privada de ensino. Rev Odontol Univ Cid São Paulo. 2013 Jan-Abr;25(1):6-10.

25. Brandão IMG, Chiaratto RA, Souza RAAR, Bergamaschi E Jr, Moimaz SAS, Saliba NA. Práticas relacionadas à saúde bucal em escolas municipais de educação infantil de Araçatuba, SP. Rev Paul Odontol. 2004 Maio-Jun;26(3):23-6.

588019db7f8c9d0a098b5388 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections