Revista de Odontologia da UNESP
https://www.revodontolunesp.com.br/article/5df3d0610e8825693073a14b
Revista de Odontologia da UNESP
Congress Abstract

Utilização do extrato de Pelargonium sidoides contra bactérias de interesse médico e odontológico

Samuel Santana MALHEIROS, Paula Ferreira de ANDRADE, Deise Isabela Moreira dos ANJOS, Bárbara Donadon REINA, Lívia Nordi DOVIGO

Downloads: 4
Views: 1329

Resumo

O gênero Pelargonium, pertencente à família Geraniaceae, possui mais de 270 espécies diferentes, encontradas predominantemente no continente africano. Tradicionalmente, o P.sidoides foi utilizado na medicina para o tratamento de distúrbios gastrointestinais, respiratórios e hepáticos. Posteriormente foi desenvolvido o EPs 7630, um extrato aquoso etanólico extraído das raízes do P. sidoides, o qual foi registrado pelo Instituto Federal Alemão de Drogas e Aparelhos médicos e recentemente aprovado em diferentes países. O EPs 7630 é composto por diversas substâncias químicas, entre elas os polifenóis que são antioxidantes com propriedades terapêuticas, além de aumentarem a biodisponibilidade de substâncias anti-infecciosas do fármaco. O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão de literatura sobre as propriedades antibacterianas do extrato de Pelargonium sidoides. Foram levantados todos os trabalhos publicados no Medline até o ano de 2018 considerando o termo “pelargonium sidoides”, resultando em 99 trabalhos e, após lidos os títulos e resumos, foram selecionados aqueles relacionados à área da saúde. O extrato demonstrou efeito antibacteriano contra diversas espécies, inclusive inibindo o crescimento de Mycobacterium tuberculosis. Pesquisas utilizando Staphylococcus aureus multirresistentes comprovaram a efetividade do EPs 7630 contra essas cepas. Verificou-se também redução na viabilidade celular de Porphyromonas gingivalis e Streptococcus salivarius, havendo predileção da ação no microrganismo patógeno. Outros estudos mostraram que o Pelargonium sidoides diminuiu a adesividade de Streptococcus do grupo A à células humanas epiteliais, bem como reduziu sua invasividade. Dessa forma, concluiu-se que o P. sidoides é um potencial agente antibacteriano, previne adesão de microrganismos em tecidos e possui segurança para utilização clínica.

Palavras-chave

Antibacterianos; Pelargonium; Medicamentos Fitorerápicos
5df3d0610e8825693073a14b rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections